Mulaka. Desenvolvido por um estúdio chamado Lienzo, nele temos como objetivo acabar com uma presença maligna que ronda a região em que moramos e para isso assumiremos o papel de Sukurúame, um xamã do povo conhecido como Tarahumara.



Localizado no estado de Chihuahua, no norte do México, esse povo ficou conhecido pela sua incrível capacidade de correr por longas distâncias sem demonstrar cansaço. Segundo um documentário criado pelo estúdio, diz a lenda que os Tarahumaras eram tão resistentes que conseguiam caçar um cervo apenas os perseguindo até que o animal caísse exausto. Isso lhes concedeu o status de super-humanos e dos maiores corredores que o mundo já viu. O bacana é que essa característica influenciará diretamente na jogabilidade do Mulaka, já que no título teremos resistência infinita.



Ainda de acordo com o pessoal da Lienzo, para criar o game eles tiveram a ajuda de renomados antropologistas e chefes do povo que serviu como fonte de inspiração, tudo para fazer com que a sua cultura fosse retratada da maneira mais correta possível. Outro ponto que considero muito bacana no projeto é que 10% de tudo o que for arrecadado com a venda do jogo será doado para um fundo que tem como objetivo manter viva a cultura Tarahumara.



Com uma direção artística que considero muito bonita, uma ambientação  fascinante — recriando a língua, músicas e costume deste povo — e uma jogabilidade  bastante divertida, Mulaka é o tipo de jogo que adoraria ver ser lançado com mais frequência. Existem tantas culturas legais espalhadas pelo mundo, então porque temos que ouvis sempre as mesas histórias?