Kwezi: Um Super-herói da África do Sul


Loyiso Mkize não é nome estranho no mundo dos quadrinhos sul-africanos. Cara e como um camaleão; ele se estabeleceu atuou como ilustrador, designer e artista plástico. Começando como co-ilustrador de Supa Strikas , Loyiso iniciou uma longa jornada até fundou sua própria empresa de artes visuais e comunicação, Loyiso Mkize Art, que vem publicando os quadrinhos de um dos primeiros super-herói da África do Sul, Kwezi .

Com Loyiso como criador e ilustrador, a talentosa equipe por trás dos quadrinhos também é composta por Clyde Beech, o colorista Viwe Mfaku   o diretor de arte digital e Peter Phillip, o engenheiro de software. O que torna a narrativa de Kwezi profunda é que ela se passa em um contexto sul-africano, facilitando a audiência sul-africana se relacionar com os personagens. A história e seu personagem principal, Kwezi, acontecem entre a agitação da Cidade do Ouro.



Kwezi significa "estrela" em Xhosa e Zulu; um nome apropriado para um jovem de 19 anos que descobre que é dotado de super poderes. Ele começa como um anti-herói dividido entre as tentações da vida da cidade grande e se mantém fiel às suas raízes culturais. Como qualquer outro garoto que anda pelas ruas de Joanesburgo, Kwezi gosta de meninas e moda, mas sua vida fica mais complicada quando descobre que ele é diferente de seus colegas. A narrativa se desenrola quando Kwezi tenta mediar os habitantes grandes da cidade e aceitar a responsabilidade social por seus poderes. Com Kwezi, finalmente temos um super-herói sul-africano que lida com questões locais e faz referências a piadas locais e que usa gírias que são verdadeiras nas ruas de Joanesburgo. A esperança de Loyiso é que Kwezi acabe se tornando uma figura de culto; um super-herói único que realmente representa a juventude da África do Sul.


CRIADOR LOYSIO MKIZE



Eu sabia desde o início que a África do Sul estava esperando por um super-herói que se parecesse com eles, que falasse com eles e que compartilhasse o mesmo ambiente que eles. 

Loysio Mkize, criador de histórias em quadrinhos de Kwezi

Mkize diz que a revista em quadrinhos está em funcionamento há bom tempo e finalmente está sendo distribuída em todo o país.

Ele diz que sempre teve uma paixão pela leitura de quadrinhos.

Eu ainda consigo alguns quadrinhos sempre que tenho um momento livre para ir a uma loja de quadrinhos. Eu cresci em quadrinhos. 

Loysio Mkize, criador de histórias em quadrinhos de Kwezi


Mkize diz que teve sorte que seus pais apoiaram seu talento e seu sonho.

 Eles impulsionaram meu talento, expondo-me ao máximo de material artístico possível. 

Loysio Mkize, criador de histórias em quadrinhos de Kwezi

Ele descreve a evolução do personagem de Kwezi e seus companheiros.

 Fui muito claro imediatamente que teria que desenvolver esse personagem a partir de uma estética mais africana. 

Loysio Mkize, criador de histórias em quadrinhos de Kwezi

O próprio Kwezi é um garoto urbano. Mas esses companheiros ostentam a cultura Basotho, a cultura Zulu e a cultura Khoi San, e a lista continua à medida que a história avança. 

Loysio Mkize, criador de histórias em quadrinhos de Kwezi

Kwezi precisava ser retratado com honestidade. E um jovem de 19 anos descobrindo seus super poderes pode não ser tão nobre quanto gostaríamos que ele fosse no início, diz Mkize. Então Zwezi começa como auto-serviço, mas através de sua jornada descobre que seus poderes vêm com responsabilidades sociais.